segunda-feira, 8 de setembro de 2008

FALANDO DE AMOR


"Cada qual sabe amar a seu modo. O modo, pouco importa;
o essencial é que saiba amar".

QUE DELÍCIA...

Não há nada que me encante mais do que falar das relações
humanas. Para mim, trata-se de um complexo emaranhado
de laços, abraços, afetos e prazeres.
Claro que relacionar-se dá trabalho, muitas vezes "torra
nossa paciência", com o perdão da expressão, embora tão
realista. Enfim, claro que no amor não são somente flores...

Ainda assim , sinto um verdadeiro deleite quando estudo,
escrevo, falo e reflito sobre a possibilidade de crescer,
amadurecer e, sobretudo, tornar-se Gente Grande na
troca com o outro.
Sei que existe a crença que diz que o homem tem medo de
mulher inteligente e bonita, não sei se é esse o motivo
para vermos tantas mulheres sozinhas, atualmente.

Existem mulheres cujo discurso sustenta a idéia fixa de
que querem encontrar alguém. No fundo, não querem, não
estão dispostas. Gostam da vida independente
e livre que levam.

www.rosanabraga.com.br


FORMAS DE MANIFESTAÇÃO SEXUAL

SEXUALIDADE GENITAL - É a que se concretiza unicamente
pela força dos instintos. É a sexualidade dos animais:
do cavalo com a égua, do boi com a vaca, do cão com a
cadela etc. Realiza-se somente pelo contato dos
órgãos sexuais.
SEXUALIDADE RELACIONAL - Vai mais além do simples
contato corporal, para se processar nos planos
psicológico e espiritual. É a união baseada no amor,
na doação, no desprendimento, no esforço comum etc.
É o que de fato caracteriza a união conjugal.

"Livro: Família Feliz, autor: Elson Gonçalves de
Oliveira"

Um comentário:

xistosa - (josé torres) disse...

Da teoria à prática ... vão os anos de vivência.
Todos gostaríamos de viver, ou saber viver como no paraíso ... do amor.

Não há uma receita.
Nós é que temos que inventar os ingredientes e misturá-los ao ritmo do que escolhemos.
Há massas que não podem ser muito batidas ou amassadas, mas outras querem uma rápida incorporação ... é nisto que reside a beleza duma matéria que nenhum livro ensina.
Nem mesmo podia ser.
E por isso que no amor, na sexualidade e no prazer, ambos não podem seguir um livro ... têm que ser professores e alunos.